terça-feira, 22 de dezembro de 2009

FELIZ 2010!


Dê 02 cliques na gravura para visualizar melhor!!!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

11ª Oficina - AVALIAÇÃO / ENCERRAMENTO

Com o objetivo de refletir sobre a práxis do professor cursista, a partir das contribuições do Programa GESTAR, iniciamos nossa décima primeira oficina do ano no dia 17 de dezembro.

Explicitamos o objetivo da mesma e apresentamos o roteiro que orientaria todas as nossas atividades. Para sensibilizarmos os presentes, utilizamos a dinâmica da viagem e, através do uso de diversas gravuras, vivenciamos momentos descontraídos de muita argumentação.

Ao realizarmos a atividade do espelho, visualizamos nas feições de cada um diversas expressões, todas indicativas de muita reflexão.


Continuando o trabalho, passamos para o momento do preenchimento do questionário e dos instrumentos avaliativos (autoavaliação e avaliação do Programa GESTAR II).
Finalizada essa etapa, distribuímos para os cursistas bolas de soprar de diferentes cores para realizarmos uma dinâmica que culminou num interessante e fraternal abraço coletivo.

Encerramos essa última oficina do ano com um momento agradável de confraternização com a certeza de que muitas foram as conquistas em 2009 e que várias são as expectativas para 2010.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Décima Oficina - Gramática


A nossa 10ª oficina teve como objetivo discutir as concepções de gramática, tipos de ensino e análise linguística. Foi realizada no Auditório da DIREC24 e, para acolher os cursistas, utilizamos o poema “Criação” de Gilberto Mendonça Teles.

Como de praxe, falamos sobre objetivo e apresentamos o roteiro de trabalho. Utilizamos também excertos de poemas ou declarações de autores sobre Gramática para fundamentar nossas discussões.

A exibição da charge “cotidiano_aula_de_portugues”, sobre a reforma ortográfica foi bastante interessante e favoreceu a explanação sobre o tema a ser trabalhado nessa manhã.

Continuando a sensibilização, apresentamos o enunciado “Morda a Minha Língua” e, em seguida, ouvimos a música de título semelhante da autora Eliana Printes. A partir desse material, diversos comentários foram tecidos buscando estabelecer relações entre a letra da música e o dia-a-dia do professor, dentre outras.

Discutindo conceitos, mobilizamos os conhecimentos prévios dos presentes sobre o assunto proposto, dando margem para, em seguida, a formação de grupos enfatizando os tipos de gramática (interna, descritiva e normativa) e os de ensino (produtivo, reflexivo e prescritivo).

A participação dos presentes foi sendo intensificada a cada etapa proposta inclusive no momento da socialização do texto de referência – TP2 (págs. 36 e 37).

Demos prosseguimento analisamos um texto de um aluno, com o qual exploramos o ensino reflexivo da gramática, o trabalho com leitura e produção textual e a análise linguística em sala de aula.

Vários comentários foram tecidos durante todo o encontro, abordando sempre a idéia de concessão, situação contrária, companhia e as condições características momentâneas do sujeito.

Mobilizando os cursistas para a próxima oficina e solicitando a avaliação do encontro, encerramos nossos trabalhos.

Em relação à análise crítica do encontro, dessa vez deixo por conta dos registros feitos no instrumento avaliativo entregue aos cursistas, cuja transcrição encontra-se postada no espaço comentários deste blog.

sábado, 5 de dezembro de 2009

3º Encontro SEC-IAT/UNB com Formadores do GESTAR II

Com o intuito de finalizarmos o curso junto à UNB, nos encontramos nos dias 03 e 04 de dezembro, no espaço da UCSAL – Universidade Católica do Salvador, Campus Pituaçu: especialistas UNB, Coordenação Estadual do GESTAR e Formadores da Bahia.
Esse momento foi de suma importância, pois individualmente - sob a coordenação da Especialista da UNB Isabel Ferreira, nesse caso de Língua Portuguesa - pudemos expor o trabalho realizado no ano de 2009 em nossa DIREC salientando avanços, dificuldades e planejamentos .

Após abraços e saudações pelo reencontro, iniciaram-se as apresentações por ordem de DIREC. No meu momento, para ilustrar o trabalho desenvolvido, utilizei um banner e, em data show, a exibição do blog/portfólio. Durante a exposição verbal busquei enfocar as informações pertinentes aos pontos fortes do programa e os pontos a melhorar; dificuldades encontradas e, consequentemente o que foi feito para saná-las.

Durante toda a exposição, procurei enfatizar a construção/atualização do blog como instrumento ímpar de crescimento profissional bem como a importância do incentivo aos cursitas em relação à postagem de comentários vistos como intervenções que primam pelo estímulo à produção textual. Verdadeiros feedbacks.

Essa apresentação foi encerrada com a exposição das propostas que temos enquanto DIREC24 para 2010 o que abrange oficinas com um tempo maior entre elas, estudos mais sistematizados, empenho para que seja possível a realização de plantões pedagógicos, ampliação do espaço do blog para postagem de produções dos cursistas e comentários dos alunos sobre o programa, dentre outras.






Ao longo dos dois dias, todos os profissionais fizeram suas apresentações e ficou latente a força do Programa GESTAR no estado, a sua importância para a melhoria da prática pedagógica e consequentemente do crescimento profissional de todos os envolvidos.




Ao final, ficou a agradável sensação de mais uma etapa concluída.

Reencontro - Formadores LP: Fotos e Vídeo



video

Como sempre, embalados por "Potência"..., muita descontração!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

AUTOAVALIAÇÃO


Cursista: Judite Maria de Souza Azevêdo Correia Pereira
Área de atuação: Língua Portuguesa
DIREC: 24 – Caetité



AUTOAVALIAÇÃO


A avaliação "... terá de ser o instrumento do reconhecimento dos caminhos percorridos e da identificação dos caminhos a serem perseguidos", é preciso “olhar o passado” para entender o que reserva o futuro. (Luckesi)



Avaliar!!! Autoavaliar!!!

Chegou o momento em que é preciso transformar em nota o nosso percurso. Como é difícil...

Se levarmos em consideração que o resultado da avaliação depende de vários fatores, será necessário para atender a solicitação acima citada construir uma estratégia: enfocar o trabalho e, a partir da reflexão de cada ponto atribuir valor às ações.

Então, vamos lá...

No que diz respeito ao interesse e dedicação, sei que sou justa quanto atribuo a mim a nota máxima. Tenho o GESTAR como prioridade.

Em relação ao embasamento teórico, apesar de ter empenhado bastante, adquirido novos livros, periódicos, “deleitado” nos materiais de apoio ao formador, sinto que não foi o suficiente. Ficou a frustração de não ter tido tempo suficiente para também compartilhar outras sugestões com os cursistas, pois como as oficinas foram realizadas semanalmente, sacrificamos de certa forma além dos nossos estudos individuais, a realização de plantões pedagógicos. Vale informar que as orientações necessárias foram dadas aos cursistas sempre que solicitadas.

À realização das oficinas, também, afirmo ter sido contemplada na íntegra, pois atendemos ao horário estipulado e, principalmente, promovemos encontros produtivos, dinâmicos e descontraídos.

Como parte do processo, a análise de relatos e anteprojeto foi feita de maneira cautelosa e responsável. Infelizmente, senti a falta de momentos individuais com o docente para explorar melhor as orientações registradas nos instrumentos citados. Novamente a falta de oportunidade: sinônimo de tempo.

Como cursista UNB, posso garantir que participei dos encontros de forma integrada, principalmente no segundo momento no qual elaboramos a formatação de projeto. A construção e atualização do Blog/portfólio, apesar de ainda não estar como gostaria, mostra claramente meu crescimento. Creio estar num estágio mais reflexivo e crítico. Por conta dele, tudo que realizo tem que ser planejado, desejado e produtivo. É preciso sentir que valeu a pena!

Outro ponto importante é a relação entre os envolvidos. Posso dizer que não temos, até a presente data, problemas em relação à nossa convivência diária. Procuramos atender às demandas oriundas da escola polo, da DIREC24, dos cursistas e do programa como um todo.

Transformando a análise acima em conceitos, cheguei aos seguintes números e posterior resultado:

1. Interesse – 10

2. Dedicação ao programa - 10

3. Estudos para embasamento teórico- 9

4. Realização das oficinas - 10

5. Orientação aos cursistas – 9

6. Realização de Plantão Pedagógico - 9

7. Análise de Relato e anteprojeto – 9

8. Participação nos encontros presenciais/UNB - 10

9. Construção/atualização BLOG - 10

10. Relacionamentos (escola polo X DIREC24 X Formadores X Cursistas) – 10


Após novos olhares e grandes experiências, eis o resultado, a nota até o presente momento: 9,6 (nove, seis) e a certeza de um caminhar coerente com a proposta do GESTAR junto ao desejo de completar as lacunas no próximo ano: mais estudos, mais acompanhamento e feedbacks.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Aplicação Prova Brasil

De 23 a 27, vivemos uma experiência interessantíssima, pois após participarmos no mês de abril da Oficina de Elaboração de Itens promovida pelo MEC/INEP/SEC-BA, termos conduzido o encontro “DINAMIZANDO CURRÍCULO”, em agosto, como formadores, e realizado uma oficina do GESTAR abordando AVALIAÇÃO em setembro, chegamos a um momento único: Aplicação da Prova Brasil.

Estar em contato com a direção, alunos e professores aplicando um instrumento que sintetiza todo o trabalho acima citado, remete-nos aos resultados constantes nos índices de desempenho.

Foi um momento ímpar porque era preciso perceber a organização da escola, suas peculiaridades, ouvir os anseios de sua estrutura, constatar o grau de autoestima dos alunos e da confiança do professor em seus “discípulos” para entender mais um pouco o processo.
Era imprescindível vivenciar o desejo de cada um em ver, tocar e responder à avaliação; a ansiedade dos alunos menores; a impaciência para cumprir etapas; a atenção dos mais amadurecidos; a satisfação de fazer parte desse momento.
A partir da observação das testas franzidas ou tranquilas, construir inferências em relação às respostas ao questionário do aluno que possivelmente lançarão informações tristes sobre “nossas” condições socioeconômicas.

Realmente, era necessário participar desse processo que deu-nos certezas e abriu nossos olhos para novas posturas, novos olhares sobre os resultados que, em 2010, serão recebidos e registrarão um pouco da nossa realidade educacional.

domingo, 22 de novembro de 2009

9º Encontro – Discutindo as variantes linguisticas: dialetos, registros e equívocos



O encontro realizado no dia 19 de novembro, 9ª oficina – Variação Linguistica foi bastante descontraído e produtivo.
Começamos com a apresentação do objetivo e do roteiro, momento que se repete em todos os encontros e enfatiza a importância do planejamento.

O acolhimento com a atividade “Gírias na Academia Brasileira de Letras” e a mobilização dos conhecimentos prévios dos cursistas com o uso de frases específicas abordando variação lingüística, levou-nos a inúmeras discussões e já deu pistas que a oficina seria bastante significativa.


A formação de grupos, a construção de um pequeno texto e a análise de falas de supostos personagens diante de uma situação onde se caracterizou o preconceito linguístico deu margem a reflexões importantes que permearam todo o trabalho.



O espaço destinado ao estudo do Texto de Referência (variações linguísticas – níveis e tipos; variações dialetal, regional, de caráter social e profissional, etária, de registro e grau de formalismo e modalidades de uso e sintonia) ampliou ainda mais os conhecimentos dos presentes e foi bastante enriquecedor. Após o estudo por grupos, no momento da socialização os professores sentiram-se bastante à vontade para explanar suas conclusões, sugeriram atividades do TP ou AAA e, também, sugeriram livros (Preconceito Linguistico e Dramática da Língua Portuguesa de Marcos Bagno, dentre outros) e o filme “Tapete Vermelho”, Europa Filmes, 2006, que abordam o conteúdo em questão.

(Para aguçar nossa vontade de assistir ao filme sugerido, vejamos abaixo um comentário sobre o mesmo retirado em 22/11/09 do site: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/ pde/arquivos/17-2.pdf?PHPSESSID=2009071412071141: ”Tapete Vermelho” é um excelente filme para se trabalhar com a diversidade cultural e linguística, pois ele resgata essa cultura popular, valorizando tanto o cinema quanto a música sertaneja e o folclore de uma forma muito poética e apaixonante.)

Após esses momentos, enfatizamos o tópico VI da matriz de referência da Prova Brasil – Variação Linguistica, descritor 13 – Identificar as marcas linguisticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto.


Sistematizamos os assuntos abordados com o uso de frases de diversos autores como Stella Bortoni, Marcos Bagno dentre outros e do quadro extraído do Livro “Os Níveis de Fala” de Dino Pretti que aborda as variedades linguisticas geográficas e socioculturais.

Encerramos o encontro mobilizando os docentes para a próxima oficina e entregando a avaliação que, posteriormente foi recolhida e estará registrada no espaço comentários desse blog.

Vale dizer que, a cada novo encontro percebemos o envolvimento e satisfação dos cursistas, apesar de registrarem que, como os encontros tem sido realizados semanalmente, surgiu a dificuldade de realizar estudos individuais de forma mais sistemática, tendo em vista que muitos só possuem o horário destinado à oficina para atividades complementares e, outros, por morarem em outro município, devido ao deslocamento, não podem utilizar o turno vespertino para tal ação.