sexta-feira, 23 de outubro de 2009

IEAT promove troca de experiências entre docentes ilustres, professores atuais e alunos do Curso Normal Médio.


Foi realizado no dia 23/10/09, na Biblioteca do IEAT, Instituto no qual sou lotada e funciona como escola polo do Programa GESTAR II - DIREC/24, como parte da programação da 11ª Feira de Educação, um momento de troca de experiências entre os docentes atuais e alunos do 3º e 4º ano do referido Instituto, do Curso Normal e, como convidadas ilustres, as professoras Vanda Ramos dos Santos, Emiliana Nogueira Pita, Idalina Vieira Cardoso e Zélia Malheiro Marques, professoras que contribuíram de forma significativa na construção da história da formação de professores em Caetité.

Durante esse significativo encontro os presentes ouvimos a declamação por uma aluna da poesia “A busca do sucesso” de autoria de D. Emiliana, a música “Tempos de Criança” e, num clima de muita descontração, relatos de experiências docentes foram proferidos pelas mestras convidadas.

Dentre as reflexões feitas, durante os testemunhos e interações, vale realçar as seguintes afirmativas: “O papel da educação é formar personalidades” e “É importante valorizar o SER PROFESSOR”, ditas pela Dona Emiliana Nogueira e pelo Gestor do IEAT Fabiano Cotrim, respectivamente.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

7ª Oficina - Estilística e Coerência


O encontro no qual trabalhamos com o TP5 – Estilística e Coerência aconteceu no dia 22, na própria sala do GESTAR II, na DIREC-24, que teve que ser adequada para que cumpríssemos nossa agenda de trabalho tendo em vista que a reserva que fizemos do auditório da DIREC-24 foi cancelada por necessidade da COARE e, a sala da escola polo utilizada na oficina anterior foi avaliada pelos cursistas como inadequada e, na data citada, o referido polo estava realizando a Feira de Educação, impossibilitando assim a utilização de outro espaço físico. Também alteramos o horário, atendendo necessidades de participantes de outros municípios, sendo cumprido o de 7h30min as 11h30min (anteriormente era das 8h as 12h].

Dificuldades resolvidas, iniciamos a oficina fazendo uma sensibilização com a utilização de imagens e trechos que se completavam, levando os cursistas a interagirem mentalmente com as questões e, dessa forma, foi possível explorarmos escolhas, palavras, estilo e coerência.

Dando seguimento, realizamos o trabalho com a gravura e texto do “frango”, a pergunta-chave, as possíveis respostas e seus autores. Foi um momento interessante, descontraído e conceitualmente produtivo. Os presentes se envolveram bastante com a atividade reforçando os conhecimentos acerca de estilos diversos.

Para agrupar os “gestaleiros”, utilizamos os fragmentos de músicas com estilos diferentes. Nessa hora surgiram discussões importantes sobre o registro informado sobre o estilo musical apresentando. Foi também uma atividade que conseguiu envolver os presentes. Usamos folhas xerografadas com os pedacinhos das músicas e pudemos ouvi-los com atenção.

A leitura do texto de referência proposta, bem como a produção das “sínteses” de seus parágrafos ou partes, em tiras de papel, por grupos, realçaram ainda mais a importância da coerência e dos interlocutores enquanto atores nessa construção.

No momento da análise e apresentação dos “avançando na prática”, apesar de termos utilizado um curto tempo, os professores interagiram e relataram ter sido um momento muito importante, pois os fez refletirem sobre a atividade mais adequada a ser aplicada junto aos seus alunos. Com relação às atividades do AAA5, sugerimos uma pertinente a estilística.

Utilizamos parte da oficina para orientar os professores em relação às novas datas das oficinas tendo em vista o encontro com o MEC em Salvador, bem como os prazos para entrega dos próximos relatos. Enfatizamos também nesse momento pontos a serem corrigidos que foram observados nos relatos entregues e já devolvidos aos cursistas.

Ao final da oficina, mobilizamos os presentes para o próximo encontro e entregamos a avaliação para que a mesma fosse preenchida.

Pudemos avaliar nesse encontro que, apesar do espaço pequeno, a alteração do horário, bem como a ênfase do trabalho no material do GESTAR e maior enfoque aos conteúdos abordados atenderam satisfatoriamente os anseios dos professores cursistas.

De acordo com as avaliações produzidas, percebemos que alcançamos nossos objetivos, pois foram utilizadas as seguintes palavras pelos docentes para expressarem suas impressões sobre a oficina: motivação, dinâmica, organização, interessante, legal, sentido, envolvimento, construção, meta, aprendizagem, redescoberta, palavra, “estilosa”, agradável, partilha, produtividade, aprender, excelente, criatividade, interação.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Agendamento/Atendimento

No dia 20, as orientações foram dadas à Professora Mariúcha Burgos pertinentes à construção do relato 01, em horário agendado de plantão pedagógico. Em seguida, foi atendida a cursista Valeska Sapucaia, essa sobre questões pertinentes ao anteprojeto. Ambas foram assistidas na sede da DIREC-24 pela Coordenadora Local Delma Gumes.

Os demais contatos, nesse mês, com os outros cursistas foram realizados através de e-mail e telefone.

domingo, 18 de outubro de 2009

A PERDA DE UM GRANDE AMIGO, ORIENTADOR, INCENTIVADOR E COLEGA!!

"Como Caetiteense, minh'alma lhe agradece e o seu coração vai aqui aplaudido, em nome de Nossa Terra - Caetité - que o adota como filho."

Agnalda Públio de Castro

Nascido na cidade baiana de Maragogipe, aos 06 de fevereiro de 1946, faleceu ontem, 17 de outubro de 2009, o Professor Doutor BARTOLOMEU DE JESUS MENDES, carinhosamente chamado por "BARTOLA", caetiteense de coração.

Advogado, graduado em História pela Universidade Federal da Bahia, com mestrado e doutorado em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, sempre foi dedicado e comprometido com as questões sociais, incansável e grande incentivador de seus alunos e amigos em relação aos estudos científicos.

Membro da Academia Caetiteense de Letras (cadeira 17 - Helena Lima Santos), autor de vários estudos e livros, dedicou-se a registrar a nossa Caetité em suas obras como: “Caetité, A Terra, a cultura e sua gente” e “A Festa do 2 de Julho em Caetité”.

Docente da UNEB - Campus VI e do IEAT – Instituto de Educação Anísio Teixeira, era apaixonado por Caetité - como sempre relatava e demonstrava - e deixará, com sua “passagem”, um enorme vazio ao perdermos sua presença física, mas seus ensinamentos, incentivos e lição de vida educacional, com certeza, estarão presentes na memória das pessoas com as quais conviveu.

Seu enterro será hoje, 16h30min, em Salvador-BA.

Descanse em PAZ, caro educador, pois seu legado estará vivo na memória de todos aqueles que tiveram o privilégio de tê-lo como professor, colega e amigo.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Educar...

video

Atendimento pessoal


No dia 15, o plantão foi realizado com a professora Cléia Alves, do Instituto de Educação Anísio Teixeira, também na DIREC-24. Utilizamos o momento para analisar em conjunto o relato entregue referente ao TP3 e esclarecer algumas dúvidas pertinentes ao projeto a ser elaborado/aplicado bem como ao Programa em geral.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Cantando...

Oficina 06 - Portfólio

video

Tocando em Frente
Almir Sater
Composição: Almir Sater e Renato Teixeira

Ando devagar porque já tive pressa
Levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei
Eu nada sei

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Penso que cumprir a vida seja simplesmente
Compreender a marcha e ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada eu vou
Estrada eu sou

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Todo mundo ama um dia.
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
e no outro vai embora

Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
De ser feliz

Conhecer as manhas e as manhãs
O sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua história,
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
De ser feliz

6ª Oficina - Portfólio


A segunda oficina do mês – Portfólio - foi realizada no dia 08/10/2009 e contou com a presença de 24 cursistas. Utilizamos a sala da escola polo, IEAT – Instituto de Educação Anísio Teixeira.
O trabalho foi desenvolvido de acordo com a proposta constante na formatação específica. Iniciamos o encontro com a seguinte mensagem “Se andarmos apenas por caminhos já traçados, chegaremos apenas aonde os outros chegaram” de Alexander Graham Bell, enfocando, através de discussões, a importância de experimentar novos caminhos.
A dinâmica utilizada, a música “Tocando em Frente” e as palavras expostas no quadro levaram os presentes a diversas reflexões acerca da necessidade pessoal e profissional de experimentar, refletir e assumir novos desafios com dinamismo em busca de significativas construções, de importantes aprendizagens.
No momento da leitura do Texto “O que é um portfólio” e apresentação dos elementos que o compõem, atividade realizada após a tempestade de ideias geradas pelo questionamento “O que é um portfólio”, várias questões foram abordadas e muitas dúvidas sanadas em relação ao instrumento apresentado.
Com a divisão dos grupos e construção de um painel/portfólio com o registro das oficinas vivenciadas até o momento, obtivemos momentos de muita reflexão e participação, principalmente no espaço destinado à socialização das produções.
Foram, em seguida, apresentados os critérios de Avaliação de um portfólio, ressaltando a importância desse instrumento como suporte ao trabalho a ser realizado por cada docente.
Os momentos que se sucederam foram destinados à entrega e socialização dos anteprojetos, por escola, nos quais as problemáticas e temáticas foram apresentadas e comentadas.
Ao final, os cursistas relembraram as etapas da oficina com o apoio do roteiro exposto no ambiente e fizeram a avaliação crítica dos trabalhos realizados.
Nesse encontro percebemos nitidamente que os docentes realmente desejam aprender cada vez mais e, apesar de acharem trabalhosa a construção do portfólio, sentem-se interessados em conhecer esse novo instrumento.
Vale ressaltar que, dentre as avaliações em sua maioria positivas, alguns professores registraram a necessidade de utilizarmos mais os materiais do GESTAR nas oficinas e agilizarmos o tempo destinado à sensibilização e dinâmicas.
Foram tecidos, também, comentários a respeito do espaço utilizado: claridade excessiva para projeção, muito calor (janelas sem condições de serem abertas), bem como o barulho externo e interno (alunos e intervalos entre aulas).

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Encontros Individuais


No dia 05, estivemos reunidas com a professora Luciana Gondim do CETEP, Município de Caetité, em plantão pedagógico, momento em que foram passadas as orientações pertinentes à oficina de Avaliação na qual a cursista em questão estava ausente, bem como tiradas as dúvidas pertinentes à construção do Relato e elaboração do anteprojeto. O encontro foi na sala do GESTAR – DIREC-24.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

5ª Oficina - Letramento

A primeira oficina do mês de outubro foi realizada no dia 1º, no Auditório da DIREC-24 e o TP abordado foi o 4 – Letramento.

Dando início ao trabalho com o poema “É Preciso Ler” de Almir Medeiros, analisamos a importância e a presença da leitura em todos os momentos de nossas vidas, o que foi reforçado ao logo de toda a oficina.

A entrega do Diário de Bordo provocou uma hesitação momentânea, pois os presentes perceberam a necessidade de estarem atentos para que o instrumento fosse adequadamente preenchido ao longo do encontro com as considerações que os mesmos achavam pertinentes e interessantes em relação ao trabalho.

Como nessa data recebemos os relatos, tivemos a oportunidade de ouvir alguns cursistas socializarem suas produções e resultados junto aos alunos. Foi uma boa oportunidade para realçar, também, a necessidade e importância do trabalho com gêneros textuais. Podemos classificar esse momento como bastante significativo.

As diversas situações sociocomunicativas foram abordadas de maneira mais enfática após a exposição do vídeo “Meu caro amigo” e com aplicação da proposta de construção de breves performances utilizando materiais disponibilizados na sala de acordo com sugestões dadas. Foram momentos dinâmicos e muito criativos. Em termos conceituais, os professores demonstraram maior entendimento e reconstruíram o conceito de letramento.

Essa compreensão aflorou ainda mais após a leitura do texto de referência, da utilização dos textos expostos no varal convenientemente colocados na sala e ao salientar os “avançando na prática” do TP4, Unidades 13 e 14.

Também foi utilizada muita criatividade no momento da produção de uma atividade didática. Os cursistas optaram pela exploração do poema “Cidadezinha Qualquer”.

Dando mais sugestões, citamos referências bibliográficas constantes nas unidades abordadas no TP em questão; apresentamos livros e periódicos que abordam o conteúdo letramento e situações de leitura e escrita, bem como aulas constantes no AAA 4.

Também reforçamos conceitos pertinentes aos conteúdos em foco utilizando trechos dos “resumindos” e, com o uso de imagens, mobilizamos os cursistas para a próxima oficina. Finalizamos recolhendo o “Diário de Bordo”.